CIRCUITO DO ESTORIL – LEGENDS

/CIRCUITO DO ESTORIL – LEGENDS
CIRCUITO DO ESTORIL – LEGENDS2019-04-15T13:48:26+00:00

CAMPEONATO DE PORTUGAL DE VELOCIDADE – LEGENDS

Luís Barros (L90), Miguel Monteiro e Eduardo Monteiro (Livre), Nuno Figueiredo (L99), João Seródio (Especial) e Tiago Montes (FEUP 2) alcançam vitórias

Conservando o espírito dos automóveis clássicos que fizeram a história do automobilismo, o Campeonato Portugal de Velocidade Legends proporcionou duas boas corridas, com um denominador em comum: a vitória, sem oposição, de Luís Barros e do seu magistral Ford Sierra RS500, que não encontrou adversários à altura, capazes de lhe fazerem frente e importunar os triunfos também agregados entre os “Legends 90”.

Falando em termos de Categorias, uma vez que nos “Legends” não há vitórias, nem títulos absolutos, ficou evidente que algumas categorias precisam ainda de reunir mais concorrentes para poderem proporcionar melhores corridas, mas outras há que ditaram já animados duelos e mostraram que o Campeonato de Portugal de Velocidade Legends está a caminho da plena saúde.

Entre os “Legends 90”, se nas duas corridas Luís Barros se mostrou inalcançável, Abel Marques (Fiat Tipo 16V) e António Zenha (VW Golf GTI 16v) ocuparam os restantes lugares do pódio nas duas corridas, mas, compreensivelmente, a “anos-luz” do Sierra RS500.

Já entre os “Legend 99”, enquanto na primeira corrida António Barros (BMW M3) ainda começou por dominar, acabaram por ser Nuno Figueiredo (Volvo 850 T5 Estate) e José Meireles (Toyota Carina E 2.0 GT) a ocuparem as duas primeiras posições, após interessante contenda pelo triunfo. Na segunda corrida, o mesmo BMW M3, mas agora guiado por Joaquim Soares, esteve a um passo da vitória, mas a falta de gasolina com a meta à vista, permitiu que Nuno Figueiredo e a carrinha sueca repetissem o trunfo da primeira “manga”.

Na Classe “Livre”, em qualquer uma das duas corridas o feudo da vitória foi para os irmãos Monteiro, com Miguel Monteiro a colocar o Volvo 850 no lugar mais alto do pódio (2º absoluto) na primeira corrida e Eduardo Monteiro a repetir a mesma dose de supremacia (também 2º da geral) na derradeira contenda. Só que enquanto na primeira corrida, foi Sérgio Pinto (Honda Civic Type-R EF9) a pisar o lugar intermédio do pódio, na segunda foi Filipe Ferreira e o seu Toyota Corolla GTI AE92 a instalar-se confortavelmente no segundo posto.

A Classe “Especial” também teve os seus momentos mais “picantes”. O BMW 320 d de Manuel Pedro Fernandes ainda tomou conta dos acontecimentos nas primeiras voltas da Corrida 1, mas acabou por abandonar, deixando a discussão do triunfo para os BMW 320 is E30 de Jorge Serôdio e Tito Gomes, que terminaram por essa ordem. Na segunda corrida, com Fernandes ausente, as posições repetiram-se e os antigos carros do Troféu voltaram a “espalhar” nostalgia.

Tiago Montes (Fiat Punto 85 Sport) correu praticamente sozinho nas duas corridas da FEUP 2, averbando, naturalmente, dois triunfos, pese embora, na segunda corrida ainda tenha tido a companhia de Pedro Ferraz.